Conto - Uma noite qualquer.

Já era quase madrugada. Anne estava ainda tentando organizar seus pensamentos, mas não sabia por onde começar. As lágrimas caíam sem pena, e o sorriso pouco se destacava em seu abatido rosto. Saudade não seria o nome certo para traduzir o que ela estava sentindo, tampouco era solidão. Era apenas arrependimento. Ela se arrependera de tudo que não fez, de tudo que teve medo de arriscar. O amor que Anne sentia era muito forte para o tempo desfazer. No entanto ela não sabia de nada disso. Por isso que estava deitada, com a janela aberta, olhando para as estrelas e chorando, chorando como se fosse um desabafo.
  Hora ou outra ela se encontrava abraçando o seu travesseiro. E dizia cheia de dor - Como eu queria que fosse você... Ah se eu tivesse tentado! Ah se eu tivesse te esperado! Não teria te perdido desse jeito tão torturante... E você estaria aqui, comigo nesse momento.
Ela não sabia por onde começar, e nem o porquê de terminar. Apenas gostaria de apagar todo esse sentimento de dentro do seu coração. Tudo isso já bastava, tudo isso já a fazia sentir seu mundo acabar.
No entanto era tarde, já estava amanhecendo. E tentar esquecer um sentimento naquela altura do campeonato, seria perca de tempo. Anne assim fechou os olhos. Deitou abraçada com seu travesseiro cheio de lágrimas, e ela sabia no fundo que esse amor não iria se acabar assim que amanhecesse. Ela sabia que tudo isso iria se repetir quantas vezes fosse preciso. Então Anne chorou, desabafou...E criou forças mais uma vez para lutar contra esse sentimento no dia seguinte.




Nenhum comentário:

Postar um comentário