Comer, Rezar, Amar

Autora: Elizabeth Gilberth

 Com muito humor a autora relata sua jornada em três países: Itália, Índia e Indonésia, em busca de algo que não encontrou mesmo tendo uma carreira de sucesso, um bom marido e etc. Tudo o que uma mulher contemporânea cobiçaria. Durante um período torturante, Liz que deveria sentir-se realizada, é tomada pela tristeza, angústia e pânico. Após divorciar-se, vender todos os seus bens e não conseguir sucesso em mais um romance, ela decide    viajar por um ano em busca do que não encontrou ao longo de sua vida.

  Analisando a vida de Elizabeth, nos perguntamos "ora, o que mais ela poderia querer? ". Mas será que uma vida aparentemente  bem estabilizada é sinônimo de uma vida "completa"?  Estamos condicionados a pensar que ter um bom emprego, uma boa família, um bom casamento é tudo que precisamos para ter uma vida feliz. É a velha ideologia da sociedade. Se você não casar até os 30 é solteirona, se casar, é obrigada (o) a ter filhos, e dedicar-se inteiramente a família e esquecer que você continua sendo uma só pessoa.
   Liz, através de seus relatos, mostra que é preciso liberta-se dessas "regras". Deixar de seguir as ideologias impostas pela sociedade. Esse é um daqueles livros que além de nos distrair, traz um aprendizado e um convite para uma autoanalise de nossa própria vida. A maneira como  Liz descreve suas diversas experiencias, faz com que o leitor sinta-se íntimo dela, é como se ela mesma estivesse contando pessoalmente sua história. A linguagem clara e direta contribui muito para isso.
  Creio que foi ano passado que o livro foi adaptado para o cinema, com Julia Roberts estrelando no papel de Elizabeth. Ainda não vi o filme, mas com certeza deve ser maravilhoso assim como o livro.



Nenhum comentário:

Postar um comentário